Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Ainda e sempre o amor...

Sábado, 16.02.08

 

 

"Não confundas o amor com o delírio da posse, que acarreta os piores sofrimentos. Porque contrariamente à opinião comum, o amor não faz sofrer. O amor instinto de propriedade, que é o contrário de amor, esse é que faz sofrer,(...) eu sei assim reconhecer aquele que ama verdadeiramente: é que ele não pode ser prejudicado. O amor verdadeiro começa lá onde não se espera mais nada em troca."

Antoine de Saint-Exupéry, in "Cidadela"

O amor verdadeiro, este, que começa lá onde não se espera mais nada em troca, é o mais doce, o mais saboreado e aromático... passou já por muitas fases, até esta maturação total. É como um bom vinho reserva de uma casta primorosa, com corpo e alma,  bebido a dois...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 23:17


5 comentários

De Just Moments a 17.02.2008 às 00:03

Belo texto..e verdadeiro..

Nunca tinha pensado nas coisas deste maneira!!
mas será que pelo menos podemos esperar ser correspondidas?? porque são precisos dois, não é??

Gostei..vou voltar!!

Beijinhos

De Lua de Sol a 17.02.2008 às 00:50

Como sempre, as escolhas são sábias.
Gostei da reflexão.
Sim, na maior parte das vezes, o amor que "começa lá onde não se espera mais nada em troca" passou por uma maturação... Outras vezes, já nasce assim, muito altruísta, como se disesse " o que importa é que (tu) estejas feliz"... Este, sim, é o verdadeiro amor. E raro, muito raro:)

Uma grande beijoca e boa noite

De angel a 17.02.2008 às 13:04

Olá Dolce...adoro..é mesmo isso..aonde não se espera nada em troca...é mágico conseguir aceitar o Amor assim...um grande beijinho..cheio de Sonhos

De blogando-me1 a 18.02.2008 às 14:29

Lindo o teu texto amiga e verdadeiro. Já li e reli um montão de vezes e realmente o sentimento de posse
acaba muitas vezes com o amor. Tem também para ti um presentinho no meu blog.
Bjs fofos

De Zita a 20.02.2008 às 09:01

Fico com dúvidas se este amor existe ou é possivel a dois. O amor nao se resume apenas ao homem e mulher. Encaro este amor aqui descrito, como aquele que se nutre pelos filhos. Durante anos a fio damos incondicionalmente não esperando receber em troca e a dada altura deixamos partir, para a procura da felicidade. É um ciclo que se cumpre.
Cumprimentos Rosa

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Fevereiro 2008

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
242526272829